Este blog é uma reunião de textos exclusivamente autorais. Para conhecer mais de mim, dividir sons e sabores poéticos, musicais, cinematográficos, e tantos outros cheiros mais além dos meus, venha tomar um expresso esparramado nas almofadas fofas do meu outro blog, o Abundante-mente. Te espero lá com as velas acesas.

29 de março de 2010

Coração na boca

Ela não é capaz de dar dois passos sem salivar.  Já tentou de tudo: óculos escuros e queixo empinado, nariz entupido e olhar embaçado, mas não adianta. Sua boca - voluntariosa - se enche de água por onde passa; vira mar pelas cores das flores de março, pela música que escorre da fresta, pelo sorriso da menina na janela, pelo cheiro do arroz na panela. Até os medos ela lambe. Para evitar confusão com a vizinhança, a mãe amarrou em seu dedo um laço vermelho de fita.
- Não esqueça, minha filha: o coração mora lá no meio do peito, e não na ponta da língua, como você imagina.

(dolorido viver com o coração na boca, e não ser compreendido.)

Sylvia Araujo

9 comentários:

Kanauã Kaluanã disse...

Sylvia,

Uma descrição e tanto dos que têm a sensibilidade aguçada.

A incompreensão será sempre essa mordida na língua, mas para os que intensificam sentidos assim, nada lhes tira o sabor.

Lindo texto!

[Dá água na boca a tua escrita!]

Beijos, com esmero.
.
.
.
Katyuscia.

Sabiana disse...

Ainda bem que eu estou do lado dos que vivem com o coração na boca e posso contemplar tua poesia linda!

;)

Bjocas

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"vira mar pelas cores das flores de março, pela música que escorre da fresta..."

Tua escrita é deveras intrigante, traço forte, ágil, e ao mesmo tempo doce...

Beleza de texto.

um beijo para Sylvia,

Márcia

Thaisa Schelles disse...

Que descrição sensivel, muito doce!

adorei;*

Clara disse...

Ah... Que lindo. Amo historinhas diferentes e que falem de sentimentos. Todos temos loucuras, sentimentos impensados. Isso é humano!

^^ Amei mesmo!

Inês disse...

NU!

Valéria disse...

Deu até vontade de estar perto de um coração assim.

BeijooO'

Anônimo disse...

é raro eu ficar sem palavras... mas teu cantop maravilhoso me dá colo e me silencia... parabéns, e obrigadaço pelo vento que tu soprou por lá.

Cynthia Lopes disse...

Que grande verdade!
Estou amando sua prosa e verso.
bjs