Este blog é uma reunião de textos exclusivamente autorais. Para conhecer mais de mim, dividir sons e sabores poéticos, musicais, cinematográficos, e tantos outros cheiros mais além dos meus, venha tomar um expresso esparramado nas almofadas fofas do meu outro blog, o Abundante-mente. Te espero lá com as velas acesas.

28 de março de 2010

Póstumo Amor

Eu nunca soube o que fazer diante dos teus arroubos infantis. Quando dançava descalça no meio da sala, rodopiando de olhos fechados - mais parecendo voar - meu coração contigo fazia par. Eu emudecia, enquanto por dentro derretia. Nunca te disse, Teresa, o quanto era ensolarado o teu amanhecer. O quanto as tuas pálpebras semicerradas, dando bom dia ao dia que vinha, me enchiam o peito de ternura e a alma de uma felicidade incrivelmente plena - quase pueril. E quando ajoelhava no jardim, bolerando cantigas pras sementes brotarem autoconfiantes, cheias de si? Era bonito demais ver tuas mãos cheias de terra acariciando as folhas que cortava - pra dar mais força aos galhos - seus dedos doces lhes pedindo desculpas pelas inevitáveis feridas. Eu sempre soube que a força vinha de ti, meu amor, mas emudecia. Calado sofria por em tempo algum dessa vida inteira ao teu lado, ter te olhado com olhos de amor. Com os meus olhos do amor infinito que sinto por ti. E agora que você se foi - pra onde a minha falsa indiferença não te alcance - fico aqui à míngua, sentindo a falta sufocante do teu sol. Sofrendo a ausência do teu calor de menina, do alto do salto dos seus 80 anos. Chorando tudo o que você me foi, sem nunca ter me exigido nada além do quase nada que eu te dei.  E quando eu te encontrar, Teresa, amor meu, minha princesa, esteja certa: vou te dar um abraço tão apertado, mas tão apertado, que sem precisar dizer nenhuma palavra, você vai ouvir roçar lá no fundo do peito o que eu sempre soube, mas você talvez desconheça - Eu te amo com todas as minhas forças. E vou te amar pro resto da minha morte.

Sylvia Araujo

6 comentários:

Bill Falcão disse...

Isso é que é amor!
Bjoo!!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Oi, Sylvia, obrigado pela visita... estou cá passeando por seus blogs... logo deixo o registro de minhas impressões, como se deve [após a leitura devida]... de já, posso dizer, belos espaços tens por cá... ;)

Beijão, menina!

Wevertton disse...

Ola. Obrigado pela visita no meu blog!! Estou te seguindo aqui, segue o meu blog tambem?? bjs

líria porto disse...

primeiro obrigada pela tua leitura e visitas a meu blog - e agora para dizer - este teu texto me tocou profundamente, trouxe à tona estas pessoas perfumadas que se vão mas deixam-nos o seu cheiro.
besos

Tatiane Lemos disse...

Nossa, que menina mais sensível, amei aqui querida!
Seguindo ja vc!

Bjs

Anônimo disse...

Isso é tudo...


Ass.: Marcia Carneiro (não consigo comentar pelo blog...)